Arquivo de etiquetas: twitter

Cavaco Silva: “Eu acredito”

Com Diogo Vasconcelos como mandatário digital, Cavaco Silva já tem meios online a promover a sua candidatura.

No site oficial a foto de Cavaco Silva sorridente ajusta-se ao lema da campanha, “Eu acredito” é o mote que pretende convencer os portugueses para votarem no actual Presidente.

No site é possível subscrever todas as informações e novidades da candidatura, deixar uma mensagem, um donativo ou associar-se como voluntário na campanha.

O Facebook e o Twitter são também outros dois meios, que a partir das 20h00 de hoje passaram a fazer parte das ferramentas para promover a candidatura junto dos eleitores.

Acompanhe o Presidenciais.com no Twitter e Facebook

O Presidenciais.com continua a crescer, mantemos os nossos visitantes informados sobre todas as novidades relativas às Eleições Presidenciais, desde as datas, aos candidatos e às sondagens, todas as notícias passam pelo nosso site.

Recomendamos que para ser o primeiro a estar informado sobre as actualizações que vamos publicando, acompanhe-nos nas redes sociais:

Siga-nos no Twitter

Adicione-nos no Facebook

Presidenciais.comAcompanhamento das Eleições Presidenciais

Candidatos às Presidenciais 2010 na internet

O Presidenciais.com reconhece a importância da internet para promover a imagem politica dos principais candidatos às Eleições Presidenciais 2010, por isso, apresentamos em seguida uma pequena lista das páginas web e dos twitter’s de Ciro Gomes, Dilma Rousseff, José Serra e Marina Silva para que possa acompanhar o seu candidato também online.

Ciro Gomes (PSB):

Página web

Twitter

Dilma Rousseff (PT):

Página web

Twitter

José Serra (PSDB):

Página web

Twitter

Marina Silva (PV):

Página web

Twitter

Coordenador da campanha de Dilma nega ter acusado Globo

Marcelo Branco, coordenador da campanha online da candidata do PT, Dilma Rousseff, às Presidenciais 2010 disse no seu Twitter que as observações que fez sobre o vídeo da Globo são de carácter pessoal e que nunca representaram a opinião de Dilma ou da restante equipa da campanha.

Como forma de se defender das acusações feitas disse na rede social: «Enquadrar a liberdade de expressão, mesmo que crítica a publicações de terceiros, como censura, é um menosprezo com a democracia», acrescentou ainda, «Pela primeira vez, a liberdade de expressão pode ser exercida não apenas num sentido, mas de forma horizontal. De muitos para muitos».

Tudo isto começou depois da suposta especulação por parte de Marcelo Branco que afirmou no seu twitter que o vídeo comemorativo dos 45 anos da rede Globo faziam alusão ao candidato do PSDB, José Serra.

Veja o vídeo e saiba mais informações.

Globo suspende vídeo por acusação de apoio a Serra

A Globo comemora 45 anos de existência e, por isso, lançou recentemente uma campanha na televisão apelativa ao seu aniversário.

O coordenador da campanha de Dilma Rousseff detectou que o vídeo estaria indirectamente a promover o apoio ao candidato José Serra do PSDB.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=Y9cOIczl4hw&feature=player_embedded[/youtube]

A justificação apresentada é a seguinte: a TV Globo comemora 45 anos e o número 45 é o do PSDB na campanha presidencial. Mas o esclarecimento não fica por aqui, segundo o PT de Dilma, o slogan de José Serra é “O Brasil pode mais” e no vídeo da Globo os profissionais contratados da emissora repetem frases que reforçam a palavra “mais”.

A TV Globo defende-se dizendo que o vídeo está produzido desde Novembro de 2009 quando ainda não se tinha conhecimento dos candidatos às Presidenciais 2010 nem dos slogans utilizados nas respectivas campanhas eleitorais.

Uma nota enviada pela Globo diz o seguinte: «Qualquer profissional de comunicação sabe que uma campanha como esta demora tempo para ser elaborada», completando ainda, «Mas a Rede Globo não pretende dar pretexto para ser acusada de ser tendenciosa e está suspendendo a veiculação do filme».

Marcelo Branco, coordenador da campanha de Dilma, foi responsável por esta controvérsia postando no Twitter a semelhança no número 45 e nas frases em que os actores repetem: «Todos queremos mais. Educação, saúde e, claro, amor e paz. Brasil? Muito mais», disse na rede social, depois da TV Globo ter suspendido o vídeo, que aquela não era uma posição oficial da campanha de Dilma, mas sim uma opinião pessoal.