Crónica: Hoje somos todos José Manuel Coelho

Então um site de esquerda apoia o José Manuel Coelho?”, é a interrogação que mais temos recebido a propósito da petição lançada pelo vermelhos.net com o lema “Todos os candidatos têm direito ao espaço público informativo”.

Compreendemos a questão que nos é colocada, mas essa incompreensão revela também como é difícil para alguns separarem as suas convicções político-ideológicas particulares daquilo que são os valores fundamentais da democracia. E o que aconteceu com a decisão de excluir José Manuel Coelho dos debates foi um acto anti-democrático que, agora que se confirma a candidatura do mesmo, tem de ser corrigido.

Também já nos foi colocada a situação de Luís Botelho Ribeiro, que continua a pugnar pela admissão como candidato, e, como é óbvio, tudo o que dizemos em relação a JM Coelho aplica-se a quem mais venha a validar a candidatura.

Podemos então discutir qual deveria ter sido o critério para a presença nos debates, não nos parecendo que pudesse existir outro que não fosse o de convidar todos os cidadãos que publicamente tivessem declarado estarem em curso os trâmites necessários para a apresentação da candidatura. Sem ingenuidades, sabemos também que daqui resultaria uma dezena ou mais de candidatos a candidatos, o que tornaria difícil ou inviabilizaria mesmo esses confrontos democráticos. Mas, nesse caso, o único critério democrático seria o de aguardar o fim dos prazos legais e só então calendarizar os debates.

Esta selecção anti-democrática de quem são os candidatos admissíveis não é uma novidade, lembramo-nos facilmente de protestos em presidenciais (Garcia Pereira), ou em autárquicas, de diversos partidos excluídos de debates, por serem considerados menos representativos. Sabemos também como alguns órgãos de comunicação social invocam critérios jornalísticos para as suas opções de exclusão, quando se torna evidente que falamos de critérios políticos induzidos pelas correntes maioritárias que procuram assim eliminar vozes dissonantes.

Hoje somos todos José Manuel Coelho porque, com a legislação existente, ele cumpriu os critérios necessários para ser candidato à Presidência da República. Tem, por isso, rigorosamente os mesmos direitos do que todos os outros candidatos. Recuso-me, por isso, a manifestar a minha opinião sobre a proposta política do candidato. Fá-lo-ei noutro momento. Agora é hora da DEMOCRACIA. Por isso iniciei uma petição on-line que vos convido a assinar:

To:  Assembleia da República, Tribunal Constitucional, Comissão Nacional de Eleições

Em nome da democracia, e independentemente de opções político-ideológicas, os cidadãos e cidadãs abaixo-assinados EXIGEM que o candidato José Manuel Coelho seja tratado na comunicação social nos seus plenos direitos, nomeadamente nos debates e entrevistas nos canais de televisão públicos ou concessionados pelo Estado.

Cabe apenas aos eleitores decidirem do mérito do candidato para o cargo de Presidente da República.

http://www.petitiononline.com/democrPR/petition.html

5 comentários a “Crónica: Hoje somos todos José Manuel Coelho

  1. Ana Almeida

    Boa Tarde
    Eu assinei a petição, pois concordo com o seu teor, embora não vá votar no candidato. O povo português precisa urgentemente de ser politizado, para entender o que é a Democracia e também para começar a ser cidadão pro-activo, e deixar de ser de uma vez por todas conduzido como se fosse um rebanho. Acho que os partidos de esquerda e os movimentos de cidadania têm muito trabalho para fazer. Vejam como a igreja católica se organizou em dioceses e afins e catequiza os seus!! Em política, também temos que nos saber organizar e estar disponível sem qualquer interesse que não seja transmitir os valores da cidadania e democracia. Pelo menos que as escolhas do povo, sejam elas boas ou más, sejam conscientes e informadas e não inconscientes por desinformação.

    Cumprimentos
    Ana Almeida

    Responder
  2. João Delgado

    Cara Ana Almeida, agradeço o seu comentário. De acordo consigo, não se trata em absoluto de apoiar ou votar no candidato, mas de reclamar democracia na nossa democracia. Quanto ao que diz sobre os caminhos da esquerda não poderia estar mais de acordo, é necessário menos parlamentarismo e mais ligação e compreensão dos problemas reais das pessoas. Mas isso só será possível se mais pessoas se disponibilizarem a participar na acção política influenciando com a sua opinião.

    Cumprimentos,
    JD

    Responder
  3. amsf

    Já tenho o candidato que há-de levar o meu cartão vermelho às elites portuguesas! Por acaso 2011, segundo o calendário chinês, é o ano do Coelho!

    Responder
  4. Sousa

    Boas….a verdade doi a mim também, pois acho que o dia de amanhã vai ser melhor e não é.
    Se vou votar no Coelho ou em branco é indiferente pois actualmente tem de haver uma mudança radical.

    Responder
  5. zulmiro Bravo

    Tal ,como qualquer cidadão,que avalia o seu semelhante, pelas acções que pratica, e nunca pelas ideologias que defende, ou pelas religiões que professa . E sendo verdade ,(que o homem nasceu,para procurar a verdade e já mais para possui-la ).acredito que se diz, tanta coisa que alguma, ade ser verdade. Pena é que só se saberá a verdade depois de se praticar a acção . Grande defeito do ser HUMANO. que muitos tem alguma dificuldade em aceitar .
    O Coelho saiu da toca . Diz o que sente , e quem estiver a sentir-se difamado . deve processa-lo .Depois deve esperar que a JUSTIÇA imparcial, transparente,incorrupta , faça justiça . Desabafo .onde estará essa justiça ?
    Vou esperar .Pela verdade . enviando um voto de que o coelho já mais volte á sua toca sem que leve consigo as respostas, ás perguntas que tem feito .

    Responder

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>